HISTÓRIA DA CIDADE


Venha-Ver é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte, distante 454 quilômetros a oeste da capital estadual, Natal. Ocupa uma área de aproximadamente 72 km², e sua população no censo demográfico de 2010 era de 3 821 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sendo o 137° maior em população do estado (em 167 municípios). Situado no extremo oeste do estado, na região do Alto Oeste Potiguar, o município de Venha-Ver abriga o ponto mais alto do Rio Grande do Norte, a Serra do Coqueiro, e foi emancipado de São Miguel na década de 1990, sendo instalado oficialmente em 1º de janeiro de 1997. Com uma população predominante católica, o município abriga o Santuário Frei Damião, que atrai centenas de fiéis anualmente.

História

A comunidade de Venha-Ver foi originada por duas famílias: uma de judeus e outra de holandeses. Uma explicação para a origem do termo “Venha-Ver” é contada pelos mais antigos. Dentre elas, a mais falada e mais conhecida por patriarcas se refere a um namoro entre uma filha de um fazendeiro e um de seus escravos. O fazendeiro ficou descontente com essa amizade, mandando sua filha para uma outra região. Algum tempo depois, esse fazendeiro foi à procura de sua filha em uma manhã, no dia de sua partida, quando recebeu de uma de suas escravas a informação de que sua filha estaria proseando com o namorado. O fazendeiro não acreditou na conversa, por isso, a escrava que havia contado essa história chamou a filha do fazendeiro para comprovar que a informação era verdadeira. A escrava, enfrentando o patrão revoltado, disse Venha ver. Algum tempo depois, esse povoado passaria a se chamar de “Venha-Ver”.

Outra explicação para a origem do nome é relacionada aos fortes traços de cultura judaica (praticada inconscientemente pela população, que descende principalmente de cristãos novos), e é descrita como uma provável fusão da forma verbal “vem” (forma conjugada da terceira pessoa do singular do presente do indicativo da forma verbal vir, em língua portuguesa) com o termo hebraico “chaver” (que se pronuncia ráver), cujo significado é amigo, companheiro. Ao longo do tempo, Venha-Ver foi sobressaindo entre as comunidades pertencentes a São Miguel, crescendo na produção agrícola e a nível populacional. Algum tempo depois, o povoado passaria a se chamar "Venha-Ver", experimentando um crescimento gradativo por causa da força de sua população. Em 12 de agosto de 1963, a lei estadual 2 903 elevado o povoado à categoria de distrito, com a denominação "Padre Cosme", pertencente ao município de São Miguel. Finalmente, em 26 de junho de 1992, o distrito de Padre Cosme ganhou autonomia política, através da lei estadual nº 6 302, desmembrando-se do município de São Miguel e tornando-se município do Rio Grande do Norte, com o nome de Venha-Ver. A instalação oficial do novo município ocorreu em 1997.

Geografia

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017, Venha-Ver pertence à região geográfica imediata de Pau dos Ferros, dentro da região geográfica intermediária de Mossoró. Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião da Serra de São Miguel, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Oeste Potiguar. Limita-se com Coronel João Pessoa e São Miguel a norte, Poço Dantas (na Paraíba) a sul, Luís Gomes a leste e Icó (no Ceará) a oeste. Venha-Ver é o município potiguar mais distante em relação à capital estadual, situado a 454 km de Natal, e a 1 774 km da capital federal, Brasília. O relevo do município, com altitudes variando entre 400 e 800 metros, é constituído pelo Planalto da Borborema, que abrange terrenos rochosos do Complexo Gnáissico-Migmatítico, com as serras do Camará, do Miguel, das Porteiras e de São José, além do Serrote Verde, formados durante o período Pré-Cambriano, com idade entre 600 milhões e um bilhão de anos. A sede municipal se localiza a uma altitude de 650 metros acima do nível do mar. Em Venha-Ver localiza-se a Serra do Coqueiro, o ponto mais alto do Rio Grande do Norte, com 868 metros de altitude, próximo à tríplice divisa (RN-CE-PB).

Cultura

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desportos é a secretaria responsável por atuar no setor cultural do município, bem como nos setores educativo e esportivo. Entre as principais festividades estão a festa de emancipação política de Venha-Ver, celebrada no dia 26 de junho, que inclui a alvorada e o hasteamento das bandeiras na sede da prefeitura, além de outras atrações; as festas juninas, com destaque para o tradicional São Pedro, com apresentações de quadrilhas, danças folclóricas e animações de bandas musicais, além de barracas com comidas típicas; e a festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que inicia com a missa de abertura, prosseguindo durante nove noites do novenário e encerrando-se com a procissão, percorrendo as principais ruas da cidade com uma imagem da padroeira. A principal atração turística de Venha-Ver é o Santuário de Frei Damião, onde está localizada uma estátua dedicada ao padre capuchinho Frei Damião, frade italiano radicado no Brasil, atraindo milhares de fiéis todos os anos; o Marco das Três Fronteiras, que se situa na tríplice divisa do Rio Grande do Norte com os estados do Ceará (Icó) e Paraíba(Poço Dantas), além da Serra do Coqueiro, na Serra São José, onde se situa o ponto mais alto do Rio Grande do Norte. No artesanato, as principais atividades são o bordado e a madeira, além da culinária típica. O município possui a Associação Musical e Artística Venhaveense (AMAV), criada em 2004 pelo radialista Lázaro Oliveira, além da Banda Musical Daniel Amorim de Lima, criada em 2 de dezembro de 2001.Há ainda grupos de capoeira, dança, manifestação tradicional popular e teatro.

{"success":false,"message":"Falha ao realizar esta opera\u00e7\u00e3o!"}